segunda-feira, 19 de setembro de 2016

SEGURO x CAMPANHA POLÍTICA

Seguradoras tEm regras específicas para carros adesivados para campanha política.

Como fazer o seguro de carros particulares utilizados em campanha política?

CUIDADO ! Cada seguradora tem um posicionamento, mas, na maioria das vezes, a cobertura é admitida, desde que alguns requisitos sejam atendidos.

Na Liberty, por exemplo, nos casos de veículos com adesivos para demonstrar sua preferência partidária, o seguro pode ser feito se o segurado for o principal condutor. Contudo, a utilização deverá ser enquadrada como “comercial”.

Já quando o veículo for do próprio candidato ou quando estiver sendo utilizado a serviço do diretório do partido, trata-se de PEP (Pessoas Expostas Politicamente), risco sem aceitação na companhia.

Também não podem ser cobertos as picapes ou caminhões que tenham equipamentos de som ou que são usados para transportar pessoas.

Na SulAmérica, veículos adesivados (para campanhas políticas ou comerciais), em 50% ou mais do casco, devem ser enquadrados como o uso “Fins Publicitários”. Se apenas parte do veículo for adesivado, o uso será “particular”.

Além disso, nos carros adesivados utilizados para transporte de partidários (ou cabo eleitorais), o enquadramento do uso no cotador deverá ser “Lotação”, pois se trata de risco mais gravoso que os “fins publicitários”.

Veículos adesivados com propaganda política não poderão contratar a garantia adicional de Equipamento para Pilotagem. Assim, em caso de sinistro, a adesivação não será reparada.

Também não haverá cobertura para o equipamento de som utilizado em campanha político no veículo.

Na HDI, ao seguro só é aceito quando o veículo é do próprio candidato ou quando estiver sendo utilizado a serviço do diretório do partido em comícios, carreatas ou para transporte de pessoas e materiais de apoio, sendo imprescindível o enquadramento como “uso comercial”.

Para os casos de segurado que usam o carro apenas para adesivos que demonstrem sua preferência partidária, mantendo sua rotina de deslocamento normal, pode ser mantido o enquadramento como “locomoção diária”.

A HDI não aceita veículos de campanha partidária que são utilizados como carro de som para divulgação de candidatos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário