quarta-feira, 30 de novembro de 2016

CHAPECOENSE



Nossos mais sinceros sentimentos as famílias e amigos de todos os envolvidos nesta tragédia.








Seguro de vida de elenco da Chapecoense pode chegar a R$ 20 milhões

Lei Pelé garante seguro de vida mínimo equivalente a doze meses de salários dos jogadores

O seguro de vida do elenco da Chapecoense pode chegar a cerca de R$ 20 milhões. O valor refere-se apenas ao benefício obrigatório, definido pela Lei Pelé, que equivale a 12 salários de cada jogador.

Além disso, familiares das vítimas devem ter direito a indenização a ser paga pela companhia aérea e possivelmente a seguro obrigatório para voos internacionais.

Segundo o artigo 45 da Lei Pelé, “as entidades de prática desportiva são obrigadas a contratar seguro de vida e de acidentes pessoais, vinculado à atividade desportiva, para os atletas profissionais, com o objetivo de cobrir os riscos a que eles estão sujeitos”.

O parágrafo primeiro estabelece que “a importância segurada deve garantir ao atleta profissional, ou ao beneficiário por ele indicado no contrato de seguro, o direito a indenização mínima correspondente ao valor anual da remuneração pactuada”.

Ainda segundo a lei, “a entidade de prática desportiva é responsável pelas despesas médico-hospitalares e de medicamentos necessários ao restabelecimento do atleta enquanto a seguradora não fizer o pagamento da indenização”.

O cálculo do valor total do seguro foi feito pelo R7 com base em declaração dada pelo presidente do clube, Sandro Pallaoro, quando o time começou sua trajetória na série A do Brasileirão, em 2014.

Na época, ele estimou em R$ 1,5 milhão a folha de pagamento da Chapecoense, em valores atualizados pela inflação oficial.

CBF assumiu seguro

Em março deste ano, a CBF informou que assumiu, com o apoio do parceiro Itaú Seguros, responsável pelas coberturas, o seguro de vida e auxílio funeral dos atletas profissionais com contratos ativos no sistema da federação. A apólice contratada pela CBF, de acordo com a instituição, fornece ao beneficiário cobertura por morte por qualquer causa, invalidez permanente total ou parcial por acidente e invalidez funcional permanente ou total por doença.

As coberturas são calculadas conforme o salário do atleta, multiplicado o valor em doze vezes.

Seguro na passagem

Presidente da Abrapavaa (Associação Brasileira Parentes e Amigos Vitimas Acidentes Aéreos) e integrante de grupo da , Sandra Assali afirma que os valores devem depender da legislação boliviana, já que a companhia tem sede no País.

— Isso depende de cada País. No Brasil, a compra do bilhete já inclui seguro de R$ 66 mil. Nos Estados Unidos, chega a 120 mil dólares. Na Europa, chega a 130 mil euros.

Além dos seguros, os parentes devem receber indenizações maiores devido à resposabilidade civil pelo acidente. Sandra recomenda que os parentes das vítimas procurem ficar próximas e conversem entre si e procurem a associação para orientações.

— É um momento de desespero. E essa aproximação ajuda os parentes. Em um momento um não está bem, em outro momento é outra pessoa.

terça-feira, 22 de novembro de 2016

PREÇO DO SEGURO

Fatores que influenciam no preço do seguro do automóvel

São diversas as variáveis que influenciam no preço do seguro do automóvel. O preço total tem como base os possíveis riscos constatados a partir de informações fornecidas pelo cliente na hora em que preencher o formulário.

São inúmeros os fatores que compõe a precificação do seguro, uns mais relevantes do que os outros. Dentre eles estão a idade e sexo do condutor, endereço (se fica em uma zona de risco), assim como se a pessoa tem garagem em casa.

Quanto à idade, se o condutor tiver menos de 25 anos, o valor vai ser maior. Quando a seguradora faz o questionário, pergunta a idade da pessoa e se há dependentes com menos de 25 anos. Eles entendem que quem é mais jovem está mais exposto a riscos.

Outros quesitos importantes são a distância percorrida diariamente e onde o automóvel passa a noite. As necessidades de uma pessoa que mora a cinco quadras do trabalho são diferentes das de quem trabalha mais longe. Na hora de responder às perguntas, você deve colocar a quilometragem que é rodada por dia. Também é observado se o cliente tem garagem fechada em casa ou não. Ainda sobre o lugar onde o veículo vai ficar, a cidade e o bairro também são considerados, baseados nos seus índices de violência. Se você mora em um lugar que tem maiores índices de roubos, é provável que o seu seguro seja mais caro do que de quem está num lugar mais seguro. Por isso, cidades menos violentas têm seguros mais baratos, aponta a coordenadora.

Apesar disso, é a combinação destes critérios que impacta no valor total. Não é só um critério, mas é a soma deles. Alguns pontos são mais relevantes, outros menos.

Segurar carro 2017 sai mais barato Antes de comprar um carro zero é importante levar em conta o preço do seguro. De fato, essa informação pode ser o fator chave de escolha entre um veículo 2017 e um 2016.

Comparando os modelos 2016 e 2017 dos cinco carros mais comprados no Brasil, a versão 2017 possui seguro em média 6% mais barato do que os mesmos modelos do ano anterior.

No estado da Bahia, a diferença entre os valores referentes às duas versões se encontra acima da média nacional, chegando a 9%.

Estes novos modelos de veículos possuem a tendência de ter um valor de seguro inferior motivado pelo seu baixo custo de manutenção. Eles também têm uma circulação menor, o que ocasiona em um número de sinistro mais abaixo da média.

Por meio destes dados comprovamos a importância do preço do seguro e como esta proteção pode ser o fator decisório para a escolha de um automóvel. O levantamento teve como base os dados da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores).

Sobre as expectativas para o ano que vem as vendas de seguros melhorem já no mês de janeiro. O mercado em geral vai estar muito acessível.

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

O SEGURO NÃO COBRE

Coisas que o Seguro não Cobre.


Justiça negou pedido de pagamento do seguro ao dono de um automóvel que teve o veículo furtado após esquecer a chave na ignição. O homem entrou com ação contra a seguradora, relatando que o seu carro havia sido furtado em julho de 2013, sem que pudesse evitar a ação.

Na ocasião, ele registrou boletim de ocorrência, informou que esqueceu a chave do carro na ignição e queria receber seguro no valor de R$ 30.570,00.

A seguradora de veículos, por sua vez, sustentou que o homem agravou o risco para o furto, uma vez que, conforme relatado por ele próprio no boletim de ocorrência, “o veículo estava ligado e com a chave na ignição” sendo que, ao entrar na residência e retornar, verificou que o automóvel havia sido furtado. Tal comportamento, segundo a seguradora, inviabilizaria o pagamento da indenização conforme contrato estabelecido entre as partes.

Após a negativa da seguradora em pagar o valor, o homem foi á delegacia e retificou o boletim de ocorrência, informando que o veículo estava com a chave na ignição, porém, desligado.

O fato, contudo, não alterou a decisão do magistrado, que concluiu: “O autor contribuiu de maneira decisiva para a ocorrência do sinistro, em conduta flagrantemente descuidada, o que exime a requerida do pagamento de qualquer indenização”. (Com informações do TJDFT)


terça-feira, 1 de novembro de 2016

SEGURO PARA FROTAS

SEGURO AUTOMOTIVO PARA PEQUENAS FROTAS


Responsáveis por cerca de 30% do PIB brasileiro, as pequenas e médias empresas combinam eficiência e estrutura de negócios enxuta – qualidades alcançadas por meio de um planejamento de gastos e riscos atrelado a importantes aliados, o seguro.

A tendência de crescimento deste produto ocorre porque, aos poucos, o seguro automotivo focado em pequenas empresas perde o status de despesa e passa a ser visto como investimento. “No primeiro momento, a contratação de um seguro auto para a empresa pode parecer um custo a mais, porém, após análise, o empresário se dá conta de que esta é a melhor alternativa contra sinistros e outros riscos que podem por o patrimônio e a produtividade do negócio em "xeque".

Tudo fica mais fácil. Sua empresa terá um único vencimento, otimizando seu tempo, evitando retrabalho com vários vencimentos e cotações no decorrer do ano. 

Preços competitivos fazem desta modalidade um bom atrativo. Já é sabido que cada Automóvel tem um taxa diferenciada, mas no final, você acaba gastando muito mais se contratar individualmente, principalmente se levar em conta todo trabalho que irá ter.

Cias Seguradoras tem pacotes de fidelização para empresas que trabalham com esta modalidade de seguro. Hoje o maior diferencial de preço quem faz é o cliente, fidelizando a Cia escolhida. Esse negócio de ficar contratando um seguro em cada Cia, não tem a cara de quem quer economizar, e sim pechinchar, que não leva a nada, principalmente nos dias de hoje que as comissões dos corretores são mínimas, comparadas a 3 ou 4 anos atras.

Oferecemos um tratamento diferenciado, onde temos como principal foco a segurança que você procura aliada ao custo-benefício.

Você não vai se arrepender.