segunda-feira, 24 de abril de 2017

YOUSE x Realidade

CUIDADO VOCÊ ESTÁ SENDO ENGANADO

O site Youse se apresenta como a versão mais acessível e barata de consumir produtos de seguros no Brasil e afirma que os seus custos são inferiores dos da concorrência em virtude da inexistência do Corretor de Seguros no processo, aliado a possibilidade de escolha das coberturas de interesse por parte dos clientes.

Uma pesquisa mais apurada mostrou que os três argumentos são falsos; já que os seguros vendidos pela Youse, quando adequadamente comparados, são mais caros que a concorrência; que a Youse é uma estrutura intermediária com despesas altas de operações e que o cliente, em grande parte do País não pode adquirir as coberturas desejadas, sendo induzido, em alguns casos, a adquirir produtos sem a proteção pretendida, deixando-os expostos aos riscos mais frequentes, que acontecem na maioria dos casos de utilização do seguro, como os danos materiais parciais causados aos automóveis dos segurados e daqueles, que porventura, venham a ser vítimas de alguma colisão causada pelo motorista que contratou o seguro através da plataforma.

O preço da Youse é mais caro

Visando checar a veracidade da informação de que o seguros da Youse é mais barato foi realizada uma pesquisa utilizando-se dois dos modelos mais vendidos no Brasil.

A cotação foi simulada nas praça de São Paulo e Brasilia, que são as únicas onde a Youse oferece a possibilidade de se contratar coberturas para os danos materiais parciais para o veiculo do cliente e de quem, por ventura, for vitima de acidente causado pelo contratante.

Foi utilizado o exemplo do automóvel Chevrolet Onix Hatch LT 1.0, ano 2017, com cobertura de 100% da tabela Fipe para perda total, R$-100.000,00 para Danos Materiais, R$-200.000,00 para Danos Corporais. Além disto, acrescentou-se assistência a automóvel de 200km; carro reserva no período de 7 dias, vidros (faróis, lanternas e retrovisores).

Para cada veículo analisado, o estudo considerou como perfil um condutor homem, de 35 anos e divorciado.

Em São Paulo

Franquia, participação do segurado em caso de acidente, no valor de R$-2.386,00.

Youse – R$ 5.960,88 ao ano;

HDI – R$ 3.948,63 e

Tokio Marine – R$ 3.986,92

Em Brasilia:

Franquia, participação do segurado em caso de acidente com perdas parciais, no valor de R$-2.634,00.

Youse – R$ 3.367,20 ao ano;

HDI – R$ 2.456,73 e

Tokio Marine – R$ 3.272,43

Para o automóvel HD20 Confort 1.0 , ano 2017, com os mesmos critérios do exemplo anterior, o custo ficou:

Em São Paulo

Franquia, participação do segurado em caso de acidente com perdas parciais, no valor de R$ 3.300,00.

Youse – R$ 5.630,28 ao ano;

Allianz – R$ 4.173,82 ao ano;

Tokio Marine – R$ 4.887,85

Em Brasilia:

Franquia, participação do segurado em caso de acidente, no valor de R$-3.362,00.

Youse – R$ 3.508,32 ao ano;

HDI – R$ 3.356,14 e

Tokio Marine – R$ 3.620,46

Portanto afirmar que o produto distribuído pela Youse é mais barato não corresponde a realidade. O que se percebe na Youse é que as alternativas são pré-estabelecidas, limitando significativamente as opções de contratação para dar a impressão de um custo inicial mais barato, visando atrair a atenção do consumidor, mas o impossibilitando de escolher as coberturas ideais. Quando incluídas as coberturas ideais o custo do seguro da Youse ficou mais alto que alguns concorrentes.

Uma vantagem que o produto tem e que as demais Cias não oferecem é o pagamento parcelado em 12 vezes.

Sem Corretor de Seguros é mais barato?

Com um marketing agressivo a seguradora diz , através de seus atendentes, oferecer preços muito mais baixos porque dispensa a figura do Corretor.

Mas o Corretor de Seguros é um intermediário da mesma forma que a Youse, que distribui produtos da Caixa Seguros com elevadíssimos custos com tecnologia, marketing e atendimento pessoal, já que a maioria dos negócios tem sido fechados através do telefone.

Os custos apresentados na comparação acima comprovam que o fato de excluir o Corretor de Seguros não reduz o custo do seguro Youse, que na verdade é mais caro do que alguns concorrentes mais tradicionais.

A Youse induz o consumidor a não comprar os tipos de seguro mais utilizados

A Youse não oferece cobertura para danos mais comuns e de maior incidência em quase todo o Brasil.

Apenas as cidades de São Paulo e Brasília oferecem a possibilidade do cliente contratar proteção para perdas parciais no próprio veÍculo e/ou no daqueles que venham a ter seus automóveis danificados por colidir com um segurado Youse, as mais utilizadas e de maior incidência no Brasil.

Em uma simulação de um cliente da cidade de Salvador, Bahia, que demonstra interesse em adquirir o seguro com a cobertura de Perda Parcial para o seu veículo aliada a de Danos Materiais a Terceiros, para o caso de colidir com outro automóvel, a atendente da Youse entra em contato telefônico com o possível cliente, explica que a Youse ainda não pode oferecer este tipo de proteção na cidade onde ele reside e tenta convencê-lo a contratar o seguro sem a garantia e aguardar o dia em que for possível adicionar estas proteções. 

Ou seja, mesmo interessado em contratar uma proteção mais completa, o consumidor é induzido a ficar sub segurado, exposto a riscos frequentes, em função de uma estratégia agressiva de captação de novos negócios que, aliada a uma campanha publicitária incrível, o plano de comunicação é muito bem modelado, pode causar sérias perdas ao consumidor desassistido, tão frequente no ambiente online.

A Youse também não oferece a possibilidade de se proteger de Danos Morais.

A Youse chegou ao mercado se posicionando como a Seguradora Online onde os consumidores contratariam seguros totalmente via internet, depois se reposicionou como Plataforma Online da Caixa Seguradora, um intermediário entre a Caixa Seguros e o consumidor, e agora investe na humanização dos seus serviços abrindo mão do modelo 100% online e atendendo a boa parte de seus clientes via telefone.

O que fica parecendo é que o modelo do futuro que deveria oferecer melhores produtos, por melhores preços e estabelecer uma relação 100% online abriu mão da atitude disruptiva e caminha para uma operação bem próxima das corretoras de seguros online existentes.

Cabe ao consumidor tomar os cuidados necessários ao contratar o seu seguro ,analisando as possibilidades existentes e comparando as ofertas deste novo canal, lembrando que nem tudo é como aprece nos anúncios na hora que ele se envolve em um acidente no mundo real.

quarta-feira, 12 de abril de 2017

CUSTO DO SEGURO

5 fatores que influenciam no custo do seguro


O preço de um seguro é calculado com base no perfil do motorista e das características do veículo segurado. Existem cinco aspectos fundamentais que influenciam diretamente no custo: a idade; o sexo; o endereço; a garagem e o modelo do carro.

O valor do prêmio do seguro pode ser mais ou menos oneroso em função da qualidade da informação prestada pelos segurados aos Corretores de Seguros. Consultores de gerenciamento de riscos e seguros alertam que muitos segurados, por exemplo, omitem propositalmente algumas informações entendendo que isso possa gerar alguma economia.

Conheça, a seguir, os fatores que influenciam no preço do seguro auto:

· A garagem onde o carro costuma ficar:

Um dos aspectos que interferem na cotação do seguro do automóvel é a condição de o carro ter ou não garagem. Caso o veículo fique exposto à ação de bandidos ou das variações do tempo, o seguro é mais caro.

· Modelo do veículo:

Segundo o Corretor Carlos Valle, se o modelo do carro estiver no ranking dos mais visados por bandidos, seu seguro será mais custoso. Carros que demandam custos das peças de reposição, também contribuem no aumento do seguro. Isto porque a seguradora define o preço com base no custo de reposição do veículo ou das peças.

· A idade:

Condutores com idade entre 18 e 25 anos tendem a pagar mais, tendo em vista que, segundo estatísticas, o índice de sinistralidade entre esses jovens é alto.

· Sexo:

Conforme Sérgio Ricardo, em algumas seguradoras, as mulheres conseguem descontos, diferentemente dos homens que o valor chega a ser 10 por cento mais caro. O valor nestes casos é definido conforme os estudos que apontam a maior prudência no trânsito para as mulheres. As pesquisas apontam que os homens estão mais vulneráveis aos sinistros, pagando mais caro no seguro.

· Endereço:

Para Carlos Valle, a residência do seguro é um dos fatores relevantes. Condutores que residem em lugares com alto índice de criminalidade, terão que arcar com valores mais altos, tendo em vista que a proteção para o veículo será mais trabalhosa.